“Vivi momentos de tensão”, diz vítima feita de refém durante explosão ao banco de Serra Branca

BANCO_DO_BRASIL_SERRA_bRANCA

As primeiras horas da madrugada desta quinta-feira, dia 3 de março de 2016, jamais serão esquecidas por seis pessoas que ficaram sob o poder de homens armados. O grupo criminoso explodiu o Banco do Brasil da cidade de Serra Branca, no Cariri do Estado, mas, além disso, fez alguns moradores de refém.

Um funcionário público do município, que preferiu não ser identificado, concedeu entrevista  e contou os detalhes da ação criminosa que terminou com a agência bancária destruída. “Foi um momento de muita tensão. Quem passa por isso não esquece. Embora a gente saiba que eles poderiam não nos fazer mal, mas é inevitável não pensar em morrer, em ser atingido por aqueles tiros”, disse, acrescentando que os bandidos não agrediram nenhum dos reféns.

A cena, porém, não é nova. No dia 25 de novembro do ano passado houve outra investida contra o banco da cidade. O fato é que, desde então, a agência estava com as atividades suspensas. Certamente, os bandidos que agiram na madrugada de hoje não planejaram o crime, já que explodiram um banco em que sequer havia dinheiro.

“Por volta de 1h20, eu estava na praça da cidade e ao retornar para minha casa passei em frente ao banco e observei que havia um homem encapuzado arrombando a porta. Um segundo homem me parou, mandou descer da moto e indicou que eu ficasse perto de outras pessoas que já estavam lá. Ele estava armado. Não conheço armas, mas acho que era um fuzil. Depois mandou os homens tirarem as camisas”, relatou a vítima, informando que “enquanto ele ficava nos observando outros homens se dirigiam para o banco levando uma mala com os explosivos”.

Com tudo montado, os bandidos iniciaram a ação criminosa. “Houve a primeira explosão. Em seguida eles efetuaram disparos para o alto. Depois houve uma segunda explosão e nesse momento eles viram que o banco não tinha dinheiro. O que estava conosco perguntou se o banco tinha sido assaltado no dia anterior, foi quando dissemos que o assalto tinha ocorrido há quase quatro meses e que estava sem funcionar desde então.”

Com a investida frustrada, o grupo decidiu agir contra a agência dos Correios, mas foram alertados pelos moradores de que lá também não certamente não havia dinheiro.

“Eles reconheceram que tinham agido errado e ficaram atirando pra cima. Um segundo veículo pequeno se aproximou, com uns quatro homens, e depois fugiram. Antes eles já tinham rendido os frentistas de um posto de gasolina”, relatou.

Os suspeitos deixaram a cidade sem levar nenhuma quantia em dinheiro. Uma Frontier, usada pelos bandidos, foi abandonada na estrada que dá acesso ao município de São José dos Cordeiros. A rota, aliás, foi a mesma usada pelos assaltantes que agiram no final do ano passado. Somente três policiais militares estavam em Serra Branca no momento do crime.

Por Renata Nunes – Portal Tambaú 247

Por: Junior Queiroz em 3 de março de 2016

GOSTOU? CURTA, COMPARTILHE!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *