Mais 40 cisternas são construídas na zona rural de Gurjão

cisterna

Apesar das chuvas que caem na região nos últimos meses os reservatórios continuam em situação crítica. Em Gurjão a situação não é diferente, o açude que abastece a cidade ainda não recebeu água suficiente para voltar a atividade normal. Na zona rural o abastecimento se mantém através de ações emergenciais promovidas pela Prefeitura que desenvolve projetos de sustentabilidade hídrica com recursos próprios e também com parcerias.

Foi exatamente através de uma boa parceria com o CISCO (Consórcio Intermunicipal de Saúde do Cariri Ocidental) que a Prefeitura desenvolveu o maior programa de construção de cisternas no município. Apenas no atual mandato já foram construídas quase 100 cisternas na zona rural já entregues às famílias. Agora, o programa desenvolve sua nova fase com a construção de mais 40 cisternas. Eu conversei com o Secretário de Desenvolvimento Rural Orlando Júnior e ele comentou um pouco a situação com o pouco armazenamento de água nos reservatórios apesar das chuvas e a preocupação em manter programas como o de construção de cisternas. “As chuvas que chegaram ainda não deram para que possamos dizer ‘até o final do ano estamos garantidos com abastecimento de água na nossa zona rural’ e enquanto isso não acontece a Prefeitura, através de nossa secretaria, não para em termos de obras relacionadas inclusive com relação ao abastecimento de água, mais de 40 famílias serão beneficiadas com a construção de cisternas de primeira água”, comentou o secretário.

Esta semana foram realizadas visitas técnicas às famílias cadastradas e, ainda de acordo com o secretário, com essa nova etapa acredita-se que o município estará coberto com 100% das famílias residentes na zona rural com cisternas.
“É recurso do Governo Federal, do MDS, como já te falei, em uma parceria com o CISCO e, desde a primeira etapa que foi realizada nós já construímos praticamente 100 cisternas no município através desse programa e através dessa parceria com o CISCO que se fala que isso foi projeto deixado e acredito que vamos entrar em outra gestão e ainda vão falar em projeto deixado de dois mil e não sei quanto, então é muita falácia e na verdade foram poucas as ações desenvolvidas, na verdade nós estamos desenvolvendo as ações, nós não estamos falando, estamos concretizando o que as comunidades, o que as famílias queriam, o que as famílias gostariam de ter em suas casas que era a cisterna e nós estamos entregando as cisternas e trabalhamos de uma forma discutindo com as comunidades, com os criadores, com os agricultores, para que não haja retaliação, divergência de A ou B ou exclusão de alguém, trabalhamos visitando cada casa, cada família independente de cor partidária, independente de religião”, concluiu Orlando Júnior.

Por: Junior Queiroz em 5 de março de 2016

GOSTOU? CURTA, COMPARTILHE!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *