MPF identifica imprecisão e ineficácia em testes para Covid-19 aplicados em Ouro Velho

O Ministério Público Federal (MPF) na Paraíba identificou que os testes de Covid-19 realizados em Ouro velhos estavam sendo feitos de forma inadequada. Conforme o município informou ao MPF, em reunião virtual, os testes feitos são por sorologia capilar, considerado pelo Ministério Público “impreciso” e “ineficaz”.

Ainda conforme o MPF, a técnica precisa ser substituída imediatamente. 

De acordo com a secretária de saúde do município, Liudmila Nunes, os testes estavam sendo realizados de acordo com a indicação dos próprios testes. No entanto, após pedido do MPF para mudar a coleta, o município fez a mudança e há cerca de duas semanas os testes já não foram mais realizados com a técnica da sorologia capilar.

Durante a reunião, o município de Ouro Velho informou que aplicou mais de 100 testes e adquiriu 50 testes com recursos próprios.

Entre os encaminhamentos feitos pelo Ministério Público Federal, o município de Ouro Velho precisa adotar mudança na aplicação dos testes rápidos para detecção da Covid-19, inclusive buscando apefeiçoamento com às vigilâncias epidimiológicas da região do Cariri e da Secretaria de Estado da Saúde (SES).

G1

Por: Junior Queiroz em 3 de agosto de 2020

GOSTOU? CURTA, COMPARTILHE!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *