Denúncia de pagamentos com “notas frias” pela Prefeitura de Serra Branca ganha repercussão estadual

prefeitura-serra-branca

A denúncia de pagamentos com “notas frias” na Prefeitura Municipal de Serra Branca feita por vereadores de oposição ganhou nesta quarta-feira uma repercussão estadual.

Um dos portais de notícias mais acessados do estado, o MaisPB, destacou a denúncia que foi repercutida por diversos meios de comunicação da Paraíba.

Confira a matéria na íntegra:

Vereadores de Serra Branca, no Cariri paraibano, estão denunciando a Prefeitura da cidade por suposto pagamentos com ‘notas frias’ em compras de materiais de construção e utensílios de trabalho, através da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos.

Os parlamentares de oposição Joseilton Gonçalves (Galeguinho), Renan Mamede e Paulo Sérgio Barros, ingressaram com ações no Ministério Público Estadual (MPPB) e no Tribunal de Contas da Paraíba (TCE-PB) para denunciar as supostas ilegalidades.

Em contato com a reportagem do Portal MaisPB, os vereadores afirmaram que as ações junto ao TCE e MPPB tem como objetivo cobrar que a Prefeitura explique despesas de R$ 472.060,40 entre os anos de 2013 e 2014 com a compras e se os produtos e equipamentos realmente existem. “A Prefeitura não realiza obras há muito tempo, portanto não utilizou os produtos adquiridos e ninguém sabe onde esse material está”, acusou o vereador Galeguinho.

Renan Mamede  ressaltou que “algo muito curioso” está acontecendo com Secretaria de Serviços Urbanos. Segundo o parlamentar, a referida secretaria já adquiriu 137.945 sacos de lixo de 100 e 50 litros, o que obrigaria o município a gastar por dia 377 sacos. Renan também falou que outro ponto grave é a compra de luvas para trabalhadores braçais. “Foram compradas 1.962 pares de luvas látex e de couro, o que seria impossível de serem utilizados por tão poucos funcionários lotados na Secretaria de Serviços Urbanos”, disse Renan.

Como consta no balancete enviado à Câmara, foram adquiridos 285 sacos de argamassa com 20 quilos cada. “Não existe uma pedra de cerâmica sequer comprada. Sem nenhuma obra de grande porte de drenagem, foram comprados e pagos 3.378 metros de tubos de 100mm”, completou o Paulo Sérgio.

Veja os documentos com as denúncias abaixo

DENÚNCIA-CCRIMP-2013

DENÚNCIA-CCRIMP-2014

DENÚNCIA-TCE-2014

com MaisPB

Por: Junior Queiroz em 9 de março de 2016

GOSTOU? CURTA, COMPARTILHE!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *