Crimes contra agências bancárias caem 20% em 2016, aponta sindicato

 

As agências bancárias paraibanas foram alvos de 105 ataques criminosos em 2016, de acordo com levantamento do Sindicato dos Bancários da Paraíba. O número é 20% menor que o registrado em 2015, quando foram 132 ataques. Mais da metade dos casos, 64 ao todo, foram explosões, seguido de 31 arrombamentos.

A cidade com maior concentração de ocorrências foi João Pessoa, onde aconteceu 23,1% dos casos – 22 registros, sendo seis deles em agências na avenida Epitácio Pessoa. Além disso, foram 14 arrombamentos e quatro ocorrências por explosões, três por assalto e um crime de abordagem fora do ambiente bancário, a famosa “saidinha” de banco.

Já em Campina Grande, no Agreste, os incidentes com agências bancárias foram em menor número e com perfil de atuação diferente por parte dos criminosos. Sete casos foram registrados, mas cinco deles foram por conta de explosões em caixas bancários e o principal alvo dos bandidos foi o Aeroporto João Suassuna, que registrou duas ocorrências, em que três caixas eletrônicos foram explodidos.

O mais recente foi no mês de novembro, quando um trio de criminosos rendeu o vigilante e explodiu o caixa eletrônico que fica dentro do Aeroporto. Os bandidos levaram o dinheiro que havia no caixa e a explosão ainda danificou parcialmente o teto e uma porta de desembarque do local.  O outro caso em que dois caixas foram explodidos aconteceram em julho.

Os registros de explosão a caixas eletrônicos, aliás, lideram as ocorrências em todo o Estado. Ao todo foram 64 casos, o que corresponde a 67,2% dos crimes praticados contra agências bancárias. Logo em seguida vieram as ocorrências por conta de arrombamentos com 31 casos (32,5%).

Riacho dos Cavalos e Caaporã chamam atenção
Dois incidentes em particular chamaram a atenção da população em 2016. Na cidade de Caaporã, no Litoral Sul paraibano, os assaltantes explodiram dois caixas eletrônicos e parte do prédio da prefeitura municipal desabou. O caso aconteceu no mês de dezembro. O detalhe é que quatro meses antes, em agosto, o prédio do banco já havia desabado depois que uma quadrilha explodiu um caixa eletrônico e o cofre do local.

Outro caso de destaque foi o município de Riacho dos Cavalos, no Sertão paraibano, onde os bandidos explodiram o cofre do banco, levaram o dinheiro e na fuga ainda atiraram contra o destacamento da Polícia Militar. Os criminosos ainda atiraram para cima, assustando os moradores da cidade.

 

com G1

Por: Junior Queiroz em 3 de janeiro de 2017

GOSTOU? CURTA, COMPARTILHE!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *