Ministro da Defesa sugere ‘votação paralela’ com cédulas de papel

General de exército do Exército Brasileiro e ministro da Defesa, Paulo Sérgio Nogueira sugeriu, nesta quinta-feira (14), que as eleições em outubro tivessem a presença não só das urnas eletrônicas, mas também de cédulas de papel. Dessa maneira, segundo ele, seria uma forma de testar a integridade da máquina de votação.

O ministro recomendou testes nas urnas eletrônicas no dia do pleito, como uma forma de conferir a integridade da máquina. A proposta foi apresentada durante audiência pública na Comissão de Fiscalização e Controle do Senado Federal, convocada pelo senador Eduardo Girão (Podemos-CE).

“O eleitor faria sua votação e seria perguntado se ele gostaria de contribuir para testar a urna. Ao fazer isso, ele geraria um fluxo de registro na urna teste, similar à urna original, e, após isso, os servidores fariam votação em cédulas de papel. Depois dessa votação, ela seria conferida com o boletim de urnas”, disse Paulo.

O ministro da Defesa afirmou que suas propostas não possuem viés político, apenas orientações baseadas em dados. Nas últimas semanas, as forças armadas fizeram diversas sugestões ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), as quais não foram aceitas. Essa relação irritou o próprio presidente Jair Bolsonaro (PL), que criticou o TSE e Edson Fachin.

“As Forças Armadas levantaram centenas de vulnerabilidades e apresentaram sugestões, e o ministro Fachin não quer aceitar as sugestões. A essência da democracia é o voto contado e não um voto dentro de uma urna eletrônica, que vem causando dúvidas há muito tempo”, disse o presidente.

MaisPB

Por: Junior Queiroz em 14 de julho de 2022

GOSTOU? CURTA, COMPARTILHE!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.