Jornal da Paraíba destaca luta de serrabranquense que percorreu mais de 100 KM para poder dar à luz

12512003_10153320896286961_1374431537_n

A cidade de Serra Branca, localizada no Cariri Paraibano mais uma vez ganha destaque negativo na imprensa estadual da Paraíba, desta vez na área da saúde.

A edição do Jornal da Paraíba do último domingo trouxe como um dos principais destaques o drama vivido por centenas de mães que não conseguem ter seus filhos nas suas próprias cidades.

O caso levado pelo jornal impresso foi da serrabranquense, Aline Amorim, que teve que percorrer mais de 100 KM para poder dar à luz em Campina Grande.

Aline Amorim relatou que em Serra Branca não quiseram realizar o procedimento e ela teve que se deslocar para Campina Grande onde foi atendida no ISEA.

“Na minha cidade (Serra Branca) não quiseram fazer o parto e eu tive que vir para Campina. É o meu terceiro filho, e o segundo que nasce de parto normal. O primeiro foi uma cesariana. Eu confesso que tinha muito medo de vir para cá (Isea), porque escutava muita gente falando que não era bom, e eu ficava morrendo de medo, mas eu gostei”, disse Aline.

Casos como este tem revoltado bastante a população que presencia todos os dias os filhos dos serrabranquenses nascendo em outros municípios. Só em 2015, mais de 50 filhos e filhas de serrabranquenses nasceram em Sumé, no Hospital da cidade.

Em 2015, apenas o Fundo Nacional de Saúde repassou para Média e Alta complexidade em Serra Branca o valor de R$ 1.045.706,76.

O Governo do Estado faz sua parte e paga mensalmente mais de R$ 50.000,00 na folha de funcionários do Hospital, além de já ter feito dois convênios de 1 ano cada, onde ficou sendo repassado R$ 90.000,00 extras para o Hospital.

Além de desses recursos destinados através do Fundo de Saúde do Governo Federal e Governo do Estado, a Prefeitura de Serra Branca recebe mensalmente o FPM que tem por obrigatoriedade ter 15% aplicado na saúde.

Estima-se que em 2015 a Prefeitura de Serra Branca recebeu cerca de R$ 13 milhões em FPM e outras rendas, então 15% desse valor levou a órgão a ter cerca de R$ 2 milhões de reais que destinados a saúde. Mesmo assim a população tem reclamado através das redes sociais e veículos de comunicação dos serviços oferecidos pela saúde do município.

PARAÍBA MIX

Por: Junior Queiroz em 12 de janeiro de 2016

GOSTOU? CURTA, COMPARTILHE!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *