Aesa vê retirada de água por carros-pipas como uso ‘pouca expressão’

O presidente da Agência Executiva de Gestão das Águas (Aesa), João Fernandes, garantiu que a retirada de água por carros-pipas do açude Manoel Marcionilo, em Taperoá, é de pouca expressão e não acarreta riscos para o manancial.

Em contato com a reportagem, João Fernandes ressaltou que os carros que estão retirando água do açude são cadastrados pela Aesa.

O açude que chegou a secar totalmente com o longo período de estiagem, está atualmente com 11.941.736 metros cúbicos de água, de acordo com dados da Aesa.

O manancial sangrou pela última vez no mês de abril.

 

Bruno Lira – MaisPB

Por: Junior Queiroz em 4 de outubro de 2017

GOSTOU? CURTA, COMPARTILHE!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *