Precisamos nos preparar para enfrentarmos tempos difíceis, por Valmi Oliveira

É com muito espanto e preocupação que observamos a crise de dimensões globais causada pelo avanço da pandemia trazida pelo COVID-19, pois temos uma associação de uma crise econômica com uma crise de saúde a nível mundial.


Nesse sentido, precisamos nos preparar para enfrentarmos grandes turbulências no campo econômico e de saúde pública.


Primeiro, temos que nos conscientizarmos que não estamos de férias, é preciso que as pessoas realmente fiquem reclusas em suas casas evitando ao máximo a exposição e o contato com o vírus, pois este é de fácil transmissão.

Caso contrário, teremos uma disseminação em massa do vírus, o que logo sobrecarregaria todo o nosso sistema de saúde pública, deixando um rastro devastador de mortes, como ocorreu recentemente na China e ocorre na Itália.

Por outro lado, entra a questão econômica que com o avanço da pandemia, as principais bolsas de valores do mundo tiveram quedas superiores a 20% e com isso causando perdas de bilhões com a atividade econômica paralisada.

Diante desse cenário macroeconômico externo, o Brasil que já vinha com uma economia capengando, tende a piorar drasticamente nessa crise que se avizinha.

Portanto, se faz necessário rever urgentemente a política fiscal implementada nos últimos anos pelo governo federal, pois essas reformas e cortes de gastos públicos, principalmente tirando dinheiro da saúde e educação, não ajudará o Brasil a ultrapassar essa grande tormenta que passa a economia mundial.

Precisamos nesse momento, mais do que nunca, que o Estado possa adotar medidas de estímulos na economia a curto e médio prazo, como investimentos públicos em infraestrutura por meio do BNDES, onde muitos outros setores serão movimentados também a partir desses estímulos.

Nesse sentido, além da mudança da agenda econômica que deve ser implementada pelo governo federal, é preciso que governadores de estado e gestores municipais também assumam sua responsabilidade diante desse cenário de crise e busquem criar também políticas de estímulos a atividade econômica. Pois, só assim, poderemos sair mais fortes da tormenta.

Algo talvez nunca visto antes. Por mais que a grande maioria das pessoas ainda não compreenda que iremos passar por grandes turbulências no campo econômico e na saúde, precisamos discutir e buscar soluções a curto prazo.

Valmi Oliveira é historiador e professor

Por: Junior Queiroz em 24 de março de 2020

GOSTOU? CURTA, COMPARTILHE!

2 Comentários

  1. Maria das Graças Souto disse:

    Excelente informação à população.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *