Dilma ataca ‘política do quanto pior, melhor’

dilma-1

A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta sexta-feira (8) que acredita que o país está com um clima de “quanto pior, melhor”. Ela participou da inauguração do Estádio Aquático do Parque Olímpico da Barra, no Rio de Janeiro, e da entrega de ambulâncias para uso durante os jogos. Também participaram do evento o prefeito do Rio, Eduardo Paes, e o governador em exercício, Francisco Dornelles.

“Hoje, no Brasil, tem um certo clima que não chamo de mau humor, chamo de ‘quanto pior, melhor’. Acho que um clima de ‘quanto pior, melhor’, não interessa ao país, não interessa para a necessária estabilidade econômica e politica do país”, disse a presidente. “Se nós somos capazes de fazer uma Olimpiadas, se nós somos capazes de fazer uma Paralimpíadas, nós somos capazes de fazer também o nosso país voltar a crescer.”

Para isso, segundo Dilma, é necessário ter “o elemento da convergência, o elemento do diálogo, o elemento da parceria”. “Daí porque eu digo que esse é um momento especial, um símbolo e um exemplo do Brasil, do que é possivel fazer quando pessoas de bem se unem em prol do bem do povo brasileiro”, disse.

A presidente ainda falou da proximidade dos jogos olímpicos e afirmou que falta muito pouco para ser entregue. “Estamos com a segurança em dia. (…) A segurança estando em dia signfica que teremos essas Olimpíadas e Paralimpíadas da mesma forma que tivemos a Copa, com paz e tranquilidade”, disse.

Às 15h, a presidente também deve participar da cerimônia de entrega de unidades habitacionais dos residenciais Mykonos e Santorini, no Rio. Ao mesmo tempo, acontecem entregas simultâneas em Balsas (MA), Canaã dos Carajás (PA), Tailândia (PA), Jaciara (MT) e Belo Horizonte (MG).

Estádio Aquático e ambulâncias
O novo estádio será usado para provas de natação olímpica, natação paralímpica e pólo aquático nos jogos olímpicos deste ano. As instalações tiverem um investimento do Ministério do Esporte de R$ 225 milhões. De acordo com Paes, depois das Olimpíadas, o estádio será desmontado e as estruturas serão remontadas em áreas mais pobres da cidade para uso da população.

“É um momento muito especial para as Olimpíadas. A gente ouviu que isso não ficaria pronto, que não ficaria no preço certo. Todas as obras estão sendo entregues no prazo e não há nenhum tipo de aditivo. Se há, não há algo além do que está previsto em lei”, disse o prefeito, acrescentando ainda que as instalações de Deodoro, no Subúbio, também estão em dia.

Também foram entregues 146 ambulâncias, chamadas de “unidades de suporte avançado de vida”, para utilização durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos. Durante a cerimônia, o ministro da Saúde, Marcelo Castro, disse que está preparado para qualquer ameaça química e física durante os Jogos. “Só nos nossos hospitais federais, temos 130 leitos de retaguarda para as Olimpíadas”, disse o ministro, já contando com as unidades especializadas em traumatologia, ortopedia e cardiologia.

O ministro destacou o planejamento e a integração com os poderes estadual e federal para o atendimento à saúde durante os Jogos. “Não faltaremos ao Brasil neste momento importante, como não faltamos durante a Copa do Mundo. Temos aqui verdadeiras UTIs móveis, preparadas para o que tiver que ser feito.”

G1

Por: Junior Queiroz em 9 de abril de 2016

GOSTOU? CURTA, COMPARTILHE!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *