Zika, chikungunya e dengue provocam superlotação no Hospital de Serra Branca

hospital_sb_2

 

Há 15 dias, o município de Serra Branca entrou em estado de alerta por conta do aumento de pessoas picadas pelo mosquito Aedes Egypti. Apenas no mês de janeiro, o aumento estimado pelos números é de 500% em relação a todo o ano passado.

Nesse início de semana, o Hospital Geral de Serra Branca recebeu um aumento considerável de pessoas com sintomas da doença, o que congestionou todo o atendimento da unidade. Apenas nesta segunda (15), o Hospital recebeu mais de 250 usuários e com apenas um médico de plantão, alguns voltaram para casa sem atendimento.

Diante do surto, o secretário de saúde e médico, Dr. Marcelo Jackson, reuniu nesta terça (16) a equipe de profissionais da cidade e articulou dois médicos para o hospital por dia. Ainda assim, o secretário sugeriu que os pacientes buscassem os postos de saúde, onde não há demanda reprimida e médicos em todas as unidades.

Num esforço concentrado, três médicos atenderam a demanda de usuários nesta terça após o encontro na Secretaria de Saúde e rapidamente as filas se acabaram.

Dados do Hospital de Serra Branca revelam que em dezembro foram 1.600 usuários atendidos na unidade, sendo 1000 deles de fora do município. Em janeiro, esse número passou para 2.150, sendo agora a metade de serra-branquenses.

A determinação de colocar dois médicos no Hospital agradou a população e prefeitos de cidades vizinhas que dependem do Hospital de Serra Branca para atendimento a seus populares.

com De Olho no Cariri

Por: Junior Queiroz em 17 de fevereiro de 2016

GOSTOU? CURTA, COMPARTILHE!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *