Polícia investiga indícios de superfaturamento em cestas doadas por ONG da PB

A Polícia Civil irá investigar o valor das cestas básicas que eram destinadas pela Organização Não Governamental (ONG) Aliança Bayeux Franco-Brasileira, para apurar indícios de superfaturamento no valor dos itens. A ONG foi alvo de operação na quarta-feira (1), que resultou na prisão da presidente Célia Domiciano, que já teve liberdade concedida nesta quinta-feira (2).

Em entrevista ao Paraíba Já hoje (2), o delegado responsável pelo caso, Alan Murilo Terruel explicou que eram debitados dos cartões de crédito destinados pela ONG Gerando Falcões, de São Paulo, o valor de R$ 150,00 por cada cesta básica. Terruel pontuou que, conforme apurações iniciais, o valor do custo final dos itens poderia ser menor.

A ONG Gerando Falcões disponibilizava cartões de créditos com um limite de R$ 300,00, que deveriam ser entregues aos moradores de Bayeux que eram beneficiados pelo projeto, e tinha como objetivo fomentar a economia local. Conforme as regras da organização, a substituição dos cartões de crédito pelas cestas básicas não era autorizada.

“A gente entende que esse valor ele poderia ser menor, pela qualidade e especificações do produto, o total poderia se menor. Podendo favorecer as pessoas com mais alimentos, aos recursos, se fosse autorizado pela ONG de São Paulo essa substituição. Além dessa substituição do recebimento do cartão, pela cesta básica não ser um procedimento adotado pela ONG de São Paulo, que era a detentora das regras da distribuição desse crédito, a gente entende que ele foi mal aplicado e mal distribuído. Tudo isso será objeto de investigação”.

Paraíba Já

Por: Junior Queiroz em 3 de setembro de 2021

GOSTOU? CURTA, COMPARTILHE!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *