Mulher de 77 anos que assinou termo rejeitando vacina morre de Covid

Uma mulher de 77 anos, que assinou um termo de recusa para a vacina contra a Covid-19, morreu em decorrência da doença, no último domingo (23), em Esperança do Sul, na região noroeste do Rio Grande do Sul.

O caso foi divulgado em uma publicação da prefeitura no Facebook, preservando dados pessoais da paciente. A prefeitura diz que, como a vacina é opcional, o termo é assinado por todas as pessoas que decidem não tomar o imunizante.

“Sabe-se que hoje as vacinas existentes não protegem 100% a pessoa imunizada de se contaminar, porém previnem que a doença evolua para os casos mais graves, que exigem internações e podem levar ao óbito”, diz a publicação.

De acordo com a prefeitura, menos de 50 pessoas assinaram termos de recusa da vacina no município, que tem 2.885 habitantes, segundo estimativa do IBGE (Instituto Brasile iro de Geografia e Estatística).

O documento diz que a pessoa se recusa a receber a vacina recomendada pelo Ministério da Saúde e que se responsabiliza por quaisquer eventos decorrentes dessa ação.

“Nós fizemos buscas das pessoas com a idade ou com comorbidades nas residências para que possam se vacinar. O termo nos ajuda no controle e nos assegura também de, futuramente, a pessoa dizer que não foi comunicada da vacina na sua idade ou no seu grupo”, explica o secretário municipal de Saúde, Ademir Villers da Cruz.
A Secretaria Estadual de Saúde diz não existe uma orientação do governo para o preenchimento de termos de recusa e que a decisão sobre o registro cabe a cada município. “Alguns preferem ter o documento como segurança de que a dose foi oferecida para aquela pessoa e houve a recusa”, disse a pasta em nota.

Uol

Por: Junior Queiroz em 29 de maio de 2021

GOSTOU? CURTA, COMPARTILHE!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *