Mais de 250 obras estão paradas e 385 não saíram do papel na Paraíba

Mais de 250 obras que poderiam melhorar a qualidade de vida dos paraibanos estão paralisadas. Outras 385 obras sequer saíram do papel, conforme estudo divulgado pela Confederação Nacional de Município (CNM) nessa segunda-feira (11).

Na Paraíba, 257 construções estão paralisadas por falta de repasses do Governo Federal.

Em Pedra Branca, a contenção de recursos afetou a obra de uma escola para educação infantil, orçada em quase R$ 597 milhões. Já em Borborema, o que seria um centro de apoio a projetos de infraestrutura turística já sofre com os efeitos do abandono. O telhado da obra, que tem previsão de um custo de R$ 497 mil , já está destruído.

A pesquisa levou em conta os dados disponibilizados pela Caixa Econômica Federal, referente aos contratos de repasse firmados entre os Municípios e o Governo Federal, cruzados com o Sistema Integrado de Administração Financeira da União.

Conforme a CNM, são milhares de obras espalhadas pelo país inteiro que impactam diretamente no dia a dia da população por estarem relacionadas a diversas áreas, como, por exemplo, a construção de praças, quadras de esporte, espaços esportivos, recuperação e pavimentação de vias, construções de habitação popular e de unidades de atenção especializada em saúde, assim como a aquisição de máquinas agrícolas e veículos utilitários essenciais para o provimento de certos serviços à população.

Por: Junior Queiroz em 12 de setembro de 2017

GOSTOU? CURTA, COMPARTILHE!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *